Historia y Arqueología Marítima

HOME

Indice 

TAMBÉM TENHO SAUDADES DA E.L.M.A.

Marcus Vinicius de Lima Arantes

 

                                                                À semelhança do nosso Lloyd Brasileiro, também houve na Argentina uma grande empresa de navegação estatal hoje extinta. Era a Empresa Lineas Marítimas Argentinas (E.L.M.A.). Tinha porte semelhante ao do Lloyd, com uma grande frota de navios de longo curso que freqüentavam os mesmos portos dos navios da nossa estatal. Encontrávamos muito em portos das linhas européias e americanas. Lembro-me que por volta de 1965 tive um companheiro de jornadas na Reeperbahn durante uma estadia em Hamburgo que era Oficial de Máquinas do Rio Gallegos que lá também estava atracado próximo ao meu Lóide Guatemala.  Onde estivesse um “Bomba”, um “Baia” ou um “Cabo” era quase que certa também a presença de um “Rio” ou um “Lago” argentino com aquela chaminé típica - uma bandeira com uma âncora centrada em duas faixas brancas cruzadas em banda e contrabanda dispostas em campo azul. Podemos dizer que, pela semelhança na estrutura e no conjunto de suas rotas, a E.L.M.A. era “o Lloyd da Argentina”.  

 

À minha época na Marinha Mercante a E.L.M.A tinha uma frota de 43 navios, entre cargueiros e navios de passageiros. Dentre os cargueiros, a grande maioria foi batizada com nomes de rios e lagos argentinos.

Os “Rios” eram em maior número – eram 26. Os “Lagos” eram em número de cinco. Esses navios, embora tivessem esses nomes padronizados não compunham uma classe como eram os “Bombas” por exemplo. Muitos diferiam uns dos outros e foram construídos em estaleiros diferentes.

Dentre os “Rios”, 07 eram ingleses (Rio Belen, Rio Belgrano, Rio Bermejo, Rio Chico, Rio Santiago, Rio Segundo, Rio Tercero), 07 italianos (Rio Cuarto, Rio de La Plata, Rio Gallegos, Rio Jachal, Rio Lujan, Rio Quinto, Rio Tunuyan), 03 americanos (Rio Aguapey, Rio Araza, Rio Atuel), 03 iugoslavos (Rio Carcaraña II, Rio Colorado II, Rio Corrientes II), 03 dinamarqueses (Rio Iguazu, Rio Mendoza, Rio San Juan), 01 alemão (Rio Juramento), 01 sueco (Rio Primero) e 01 espanhol (Rio Salado). Cinco deles eram para carga refrigerada e 18 tinham acomodações para 12 passageiros. Houve alguns outros “Rios” em períodos anteriores e posteriores à minha permanência na Marinha Mercante. 

 

Dos cinco “Lagos” existentes na época, três eram iugoslavos (Lago Lacar, Lago Hahuel Huapi, Lago Traful) e dois de construção argentina do estaleiro A. F. N. E. Astilleros y Fábricas Navales del Estado (Lago Alumine e Lago Argentino). Eram navios mistos, todos com capacidade para 12 passageiros. 

              

Os demais navios tinham nomes de cidades, regiões, personalidades e ex-presidentes argentinos. Navios de passageiros eram quatro (Corrientes, Libertad, Mendoza e Santa Fé). Além deles, os já citados Rio de La Plata, Rio Jachal e Rio Tunuyan eram mistos com uma capacidade de passageiros maior que os demais. Acomodavam 116 passageiros.

            

 

 

Em julho de 1989 começa a se desenhar o fim da E.L.M.A., quando o governo argentino interveio na empresa, destituindo sua diretoria e nomeando um interventor para iniciar os procedimentos de privatização. Para tal, a empresa foi dividida em duas e ambas colocadas à venda para o setor privado. Ao cabo de três leilões realizados de 1991 a 1994, não apareceram compradores interessados. Assim, o governo optou por sua liquidação, pondo fim à maior armadora estatal do país. Mais uma vez à semelhança com o nosso velho e saudoso Lloyd Brasileiro. 

Fontes:

Texto e fotos -  HISTAMAR – Historia y Arqueologia Marítima

Bandeira da E.L.M.A. – Desenho de Marcus Vinicius de Lima Arantes

 

 
 

Este sitio es publicado por la  Fundacion Histarmar - Argentina

Direccion de e-mail: histarmar@fibertel.com.ar